Review – Barraca Camping Trilhas e Rumos Cota 2

Sahara Stone

A barraca Cota 2 da Trilhas e Rumos, tem um design diferenciado sem deixar de lado a boa resistência a ventos, chuva e a praticidade para montar e desmontar.

Esta pequena autoportante é uma barraca tipo “iglu”, mas ao contrário da grande maioria, suas duas varetas se cruzam duas vezes em vez de uma, garantindo assim uma excelente estabilidade, principalmente nos dias mais ventosos.

Por possuir esse formato diferente eu acreditava que muitos usuários teriam problemas em montá-la. Porém a Trilhas e Rumos pensou nisso e criou um simples e ótimo sistema de cores para ajudar a montagem.
Cada uma das varetas possui uma fita com uma cor, preta ou vermelha. As presilhas do corpo da barraca seguem este mesmo padrão, então basta prender a vareta vermelha nas presilhas vermelhas, fazer o mesmo com os pares pretos e a barraca estará pronta em segundos.
Vocês poderão acompanhar melhor este esquema no vídeo.

A Cota 2, segundo o fabricante, tem 210cm de comprimento por 130cm de largura mais o pequeno avanço de aproximadamente 78cm, 105cm de altura, em um total de 3,3kg.

A impermeabilidade é um item muito importante em alguns lugares do nosso país e a Trilhas e Rumos garante que a Cota 2 possui 2.000mm de coluna d’água e costuras seladas.

Outro ponto que não pode deixar passar, é a respirabilidade. Essa barraca para camping foi projetada com dois pontos, janelas ajustáveis, que aliados ao sobre-teto com boa distância do solo, a ventilação é excelente e permite a baixa condensação dentro do quarto.

 

Campo de teste

A barraca foi montada em um acampamento de dois dias na Serra do Ibitiraquire. No interior do Paraná, com direito a muita chuva e temperatura média na casa dos 14ºC.

 

Como foi?

NOTA: Nós chegamos ao acampamento e fomos recebidos por uma gelada chuva. Foi por esse motivo que não conseguimos fazer a filmagem da montagem da Cota 2. Porém, como vocês puderam ver ao final do vídeo, pelo processo de desmontagem, não há muito segredo. Também sofremos uma pequena falha técnica por falta de bateria na câmera. Me desculpem! No entanto acredito que deu para conhecer o produto.

 

O formato dessa barraca foi o que mais me chamou a atenção. De montagem muito simples, esse projeto nos garantiu uma ótima estabilidade e ventilação.

Ela foi montada em um acampamento base e “habitada” por duas pessoas durante o teste. Os dias foram bem chuvosos e frios. Com ventos razoáveis, o que foi importante para avaliar os dois pontos que eu considero mais crítico em barracas mais simples.

O espaço interno é bom para uma pessoa com bastante equipamento. Ou duas pessoas com pouco. No nosso caso, como estava chovendo, não dava para deixar nada no avanço sem que molhasse.
Os bolsos internos e a “prateleira” ajudam a melhorar esta questão de espaço. Itens pequenos ou objetos que você precisa estar sempre a mão. Por exemplo uma lanterna, são muito bem vindos nesses espaços.

O controle de ventilação das janelas é excelente! Com duas pessoas dormindo, frio e chuva, não tivemos nenhuma condensação ou infiltrações. A Cota 2 se mostrou bastante eficiente nesse ponto.

A porta tem uma pequena área telada que pode ser coberta por nylon. Para ter privacidade, e o sistema de abertura em “D” é bem interessante pois permite que você abra a porta sem que a mesma toque o chão. Evitando sujar ou acabar se enroscando na hora de entrar ou sair.
Já a porta do sobre-teto, apresentou aquele pequeno incomodo ao abri-la por dentro, em dias chuvosos. Mas também são apenas alguns respingos, nada que rebaixe o bom funcionamento do conjunto.

 

Conclusão

A Cota 2 foi muito bem no teste, principalmente no quesito de respirabilidade, que é sempre um ponto crítico nas barracas tipo iglu.

Se você está buscando uma barraca mais baixa, resistente e com um preço acessível, sem dúvida que ela é uma ótima opção.

 

Onde comprar?

Basta clicar aqui: Barraca Cota 2 (2 pessoas) – Trilhas e Rumos

Até o próximo review!

Formado em analise e desenvolvimento de sistemas mas atua como representante comercial, começou a praticar esportes de aventura em 2008 com o trekking e incluiu recentemente a escalada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *