Qual a Diferença Entre CO2 e Green Gas?

Fala galera! Beleza? Hoje no nosso blog a gente vai esclarecer uma das dúvidas que mais chegam pra gente: afinal, qual a diferença entre CO2 e Green Gas?

Trouxemos mais uma resposta do Nelson L. De Faria para não sobrar dúvidas! Vamos lá?

É importante esclarecer sobre a diferença entre os gases CO2 e ‘green gas’ para a prática de tiros de pressão e Airsoft.

 

 

CO2 – este gás produz mais pressão do que o green gas! Embora ele seja também usado em algumas armas para airsoft, seu uso é mais comum em armas de pressão.

Existem armas que permitem o uso de ambos CO2 e green gas, mas é preciso sempre ler o manual antes. Se a arma for exclusiva para o uso de green gas, o gás CO2 certamente danificará os seus componentes devido à pressão bem mais alta que este gás produz.

Por conta disso, as armas projetadas para o uso de CO2 são bem mais reforçadas do que as armas projetadas para o uso de green gas.

A pressão gerada por uma cápsula de CO2 de 12 gramas está em torno de 55 Bar ou aproximadamente 780 psi.

 

 

GREEN GAS – este gás é uma mistura de propano com óleo de silicone. Ele é considerado o gás mais utilizado nas armas de airsoft em todo o mundo.

O green gas produz pressões bem mais baixas se comparadas com as pressões produzidas pelo gás CO2.

É importante informar que a pressão gerada pelo green gas varia em função da temperatura ambiente. Por exemplo, no caso do Brasil, onde na maior parte do ano a temperatura varia entre 25 °C e 35 °C, a pressão varia entre 8 e 11,5 Bar. Essa pressão mais baixa em relação ao CO2, produzida pelo green gas, torna a prática de airsoft também mais segura.

 

 

Nota: Não é recomendado o uso de propano puro, pois a mistura de óleo é importante para a lubrificação de partes inacessíveis na arma. Alguns fabricantes usam outros tipos de lubrificantes além do óleo de silicone.

 

 

Curiosidade: existe também no mercado o black gas. Ele produz mais pressão do que o green gas, porém esse gás é geralmente utilizado em regiões com temperaturas baixas. Sendo assim, pouco se aplica às condições no Brasil.

 

 

E aí, gostou da dica de hoje do Nelson L. De Faria? Qualquer dúvida, crítica ou sugestão, deixa pra gente nos comentários! Até a próxima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *