Qual é a Influência do Cano na Precisão?

Por Nelson L. De Faria

 

Precisão é o que todos esperamos de nossas armas. O cano é o principal item para a determinação da precisão da arma, independentemente do tipo e meio de propulsão do projétil.

 

Armas de pressão possuem melhor desempenho com canos de comprimento a partir de 10 polegadas ou 25 centímetros. Mas a qualidade do cano e do seu raiamento também é fundamental para a sua precisão!

 

Pensando nisso, alguns fabricantes desenvolveram canos com choque (estrangulamento). Esses canos têm como função moldar melhor o chumbinho e os canos “pesados” conhecidos na língua inglesa como ‘Match’ e ‘Bull Barrel’.

 

Os canos “pesados” tem o diâmetro externo maior do que os canos convencionais. Seu objetivo é reduzir a vibração no momento do disparo. Dessa forma, os chumbinhos deixarão o cano com o mínimo de variação de direção.

 

Contudo, esses canos mais pesados se adaptam melhor às armas PCP. Isso se dá devido à sua concepção de projeto. Armas PCP permitem que a sua câmara de municiamento fique mais próximo do atirador e não prejudique o equilíbrio.

 

No caso das Springers (armas por ação de mola), o cano se posiciona à frente do cilindro. Canos mais reforçados e pesados implicam em acréscimo de peso à frente da arma e acaba desequilibrando a carabina.

 

Então, para resolver o problema da vibração em canos convencionais, são adotados acessórios como ‘Muzzle Brake’. O Muzzle Brake, se for desenvolvido com o propósito de ter função balística, contribui bastante para a redução da vibração harmônica. Sendo assim, contribui para a melhor precisão. Infelizmente, a maioria dos muzzle brakes disponíveis tem apenas função estética.

 

Concluindo, canos de qualidade fazem toda a diferença nas armas, mas são também responsáveis por acréscimos consideráveis nos preços. Dessa forma, para armas ‘mais econômicas’, os fabricantes adotam canos de qualidade razoável, mas que podem ser melhorados com o uso de acessórios adequados (como ‘muzzle brake’, ‘air stripper’ e ‘sobrecano’.)

 

E aí, gostou da dica de hoje do Nelson L. De Faria? Qualquer dúvida, crítica ou sugestão, deixa pra gente nos comentários! Até a próxima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *