Dia do Soldado!

Hoje, dia 25 de agosto, é comemorado no Brasil o dia do Soldado. Homens que estão na linha de frente para defender os interesses do nosso país. Pessoas capazes de doar sua vida, por sua pátria e povo.

Por isso essa homenagem é mais do que justa.

Mas você sabe por que nesta data é comemorada o dia do soldado? Nosso jeito de prestar nossa homenagem, é contando um pouquinho desta história.

O dia do soldado foi instituído para homenagear Luís Alves de Lima e Silva, ou mais conhecido como o Duque de Caxias. É o patrono do exército brasileiro, e ficou conhecido também como O Pacificador, após acabar com rebeliões com sua força e inteligência tanto militar como diplomática.

Vamos então contar um pouco sobre este homem que foi um dos principais militares e estadistas da história do Brasil.

Quem nunca viu uma rua, avenida ou escola com o nome de Duque de Caxias?

Luís nasceu em 25 de agosto de 1803,  dentro de uma tradicional família de militares. Do lado do pai a família era constituída por oficiais superiores e generais do exército português. Por parte da mãe, a família era formada por oficiais de milícia.

Seu pai era o brigadeiro e regente do então Império brasileiro, Francisco de Lima e Silva. Foi com ele e com os tios que Luís Alves de Lima aprendera à ser militar.

Já aos 5 anos era cadete. Aos 15 ingressou na Academia Militar, de onde saiu para fazer parte de uma unidade de elite do Exército do Rei, já como tenente.

Organizou a Guarda Imperial de D. Pedro 1, em 1822, ano em que o Imperador proclamou a independência.

A partir de então Luís Alves de Lima, enfrentou vários conflitos e campanhas contra revoltosos com a independência, e, outras revoluções separatistas.

A primeira delas foi na Bahia, onde combateu os revoltosos do movimento contra a independência.

Analisando cronologicamente os principais momentos da vida do Duque, fica fácil entender o por que dele ter sido escolhido como o Patrono do Exército:

1825 – Guerra da Cisplatina, nos pampas Gaúchos;
1831 – Esforço pela manutenção da ordem pública após abdicação de D. Pedro 1;
1832 – Entra voluntariamente para o Corpo de Guardas Municipais Permanentes que marcham contra a rebelião anti-regência de Miguem de Frias;
1832 – Promovido a Tenente-Coronel e assume seu primeiro comando Militar: O Corpo de Guardas Municipais Permanentes(que seria a Polícia Militar do Rio de Janeiro);
1839 – Segue com 200 permanentes para o Rio Grande do Sul para lutar na Revolução Farroupilha;
1839 – Nomeado Presidente da Província do Maranhão;
1839 – Toma parte das ações militares na Balaiada, na província do Maranhão e Piauí;
1841- Graças ao desempenho da Balaiada recebe seu primeiro título de nobreza, o de Barão de Caxias. O título faz referencia à cidade de Caxias, no Maranhão;
1842 – Dominou a Revolução Liberal em São Paulo e Minas Gerais;
1843 – Foi feito Visconde de Caxias.
1845 – Recebeu o título de Marechal de Campo durante a Guerra dos Farrapos. Passou a ocupar o cargo de Presidente do Rio Grande do Sul(equivalente ao de governador hoje).
1845 – Ação militar e diplomática leva à assinatura da Paz de Ponche Verde, que pôs fim à Revolução Farroupilha.
1845 – Foi feito Conde de Caxias;
1845 – Tornou-se Senador Vitalício pelo Partido Conservador;
1851 – Comandante-Chefe do Exército do Sul contra as Províncias Unidas do Rio da Prata;
1851 – Dirigiu campanhas vitoriosas contra Oribe, no Uruguai, e, Juan Manuel de Rosas na Argentina;
1852 – Recebe o Título de Marquês de Caxias;
1855 – Tornou-se Ministro da Guerra pela primeira vez;
1861- Voltou a ocupar o cargo de Ministro da Guerra;
1866- Comandante-Geral das forças brasileiras;
1867 – Comandante Geral dos exércitos da Tríplice Aliança;
1869 – Recebe, por fim, o título de Duque de Caxias, o único à receber este título durante a época Imperial.
1875 – Ocupou o cargo de Ministro da Guerra, até 1878, pela última vez;

Vale ressaltar que Caxias teve papel determinante na Guerra do Paraguai(1864 à 1870). Iniciou como conselheiro, porém posteriormente assumiu o treinamento e reorganização das tropas. Com isto, seguiu-se uma fase de vítorias, até a ocupação de Assunção.

Por motivos de saúde, em 1878, retirou-se para a Fazenda de Santa Monica, onde morreu dois anos depois, em 7 de maio.

Para homenageá-lo e dar a devida importância de seu papel na história militar do Brasil, em 1962 o governo federal proclamou-o “Patrono do Exército Brasileiro”. O dia de seu nascimento ficou sendo considerado como o Dia do Soldado.

Sabemos que a carreira de soldado proporciona o aprendizado de valores como disciplina, amor à pátria, organização, solidariedade, honra.

Infelizmente, hoje em dia, esta data não é tão celebrada como já fora. Mas nós, que somos profundos admiradores da vida militar, queremos exaltar a vida e história destes homens. Eles não receberam as mesmas honrarias e reconhecimentos do Duque de Caxias, mas com certeza são norteados pelos mesmos valores e amor por nosso país.

Fica aqui com isto nossa homenagem à estes bravos guerreiros que dedicam suas vidas a tornar a nossa vida mais segura.

E O NOSSO MUITO OBRIGADO À VOCÊ SOLDADO!

Avalie este post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *